Seguidores

terça-feira, 17 de junho de 2008

"Procura-se a felicidade ou evita-se o sofrimento ?"




Vivemos em uma época em que as pessoas, na tentativa de encontrar a “tão sonhada felicidade”, passam por um processo em que parece haver uma generalização e banalização daquilo que o sujeito procura para satisfação de seus desejos. Será que isso tem ocorrido exatamente pelo excesso de objetos oferecidos?

Quando pensávamos em um tema a ser escolhido para que pudéssemos falar de psicanálise e de suas implicações sociais, nos veio em mente a célebre frase conhecida popularmente: “Freud explica”. Talvez deva-se ao fato de Freud ter desenvolvido uma vasta obra, tratando de assuntos como histeria, fobia e tantos outros que serviram para acrescentar aos estudos psíquicos da atualidade. Não só das psicopatologias, mas também sobre as relações amorosas, repetições de comportamento, e fundamentalmente a construção de uma teoria acerca do inconsciente.

Poucos sabem ao certo quem foi Freud, o que é o inconsciente e para que serve a psicanálise. É o que buscaremos tentar desmistificar durante nossos encontros mensais com o leitor. Alguns a consideram como algo “chic”. Imagine só, eu, deitada no divã e um analista barbudo, de pernas cruzadas, me ouvindo sem dar um pio, e eu contando todos os meus sonhos...é puro “status”! Existem ainda aqueles que dizem que ela é para os fracos. Ao contrário, passar por um processo analítico é um ato de coragem...não podemos considerar fraco, alguém que assume suas faltas, entrando em contato direto com aquilo que muitas vezes é tão doloroso, mas necessário de ser dito para que possa ser resolvido. Portanto, análise é para os fortes!!!

Percebe-se que o que era tratado por Freud desde o século passado ainda comparece nos dias de hoje. Basta assistirmos televisão, lermos jornais, livros de auto-ajuda ou andarmos nas ruas para sabermos que o que se busca hoje é a felicidade. Mas onde será que ela está? As respostas vem das mais variadas vertentes que se empenham em responder a tudo. Uns dizem que ela está em uma pílula, outras acreditam encontrá-la apenas na igreja; há aqueles que dizem que ela está nos “bens” de consumo, como roupas, alimentos, carros; sem esquecer aqueles que acham que a felicidade está no outro, quando dizem: “eu preciso de você para ser feliz”. Muitos querem acreditar que toda ciência e tecnologia é capaz de cessar ou ao menos explicar o motivo de nossas angústias e desprazeres...”amarga ilusão”, aquela sensação estranha permanece latente. “Consegui aquela roupa que tanto queria, e agora quero a outra”. Procura-se a felicidade externamente, quando na realidade, as respostas estão dentro de cada um.



Reproduzimos pensamentos e muitas vezes determinamos fórmulas a serem seguidas, onde a verdade de cada sujeito acaba sendo esquecida pelo que ele imaginariamente acredita não ser aceito ou porque ele mesmo ainda não pôde enxergar. Não se trata aqui de questionar tais padrões, estes são necessários e sempre existirão. O o que “Freud explica”, na verdade é algo que deve ir além de convenções, que seja próprio de cada um de nós. A participação do analista para a busca das respostas do sujeito é fundamental. Quando você o procura, espera que ele te responda alguma coisa, mas o que ele faz é questionar aquilo que é dúvida para você, assim, o que é geral se transforma em único, singular. E ainda há quem diga que psicanálise é coisa do passado...por que será?



Raquel Gomes da Silva e Roberta Santos Gondim
Psicólogas/ Especialistas em Teoria Psicanalítica.

12 comentários:

raquel disse...

adorei as cores mauro

leserique disse...

lindeza da minha vida... Muito safa.
Tenho certeza que vc alcançará seus desejos profissionais.
Torço por vc. Pela Beta e por todo mundo tbm.
Te amo .

duda disse...

Mas isso tá ficando chique né???
Parabéns amigas lindas!!! Esse é só o começo de uma carreira fantástica!!! Desejo tudo de bom!
Adorei a matéria...muito mesmo!

Beijos,Duda.

carol disse...

Olá gostei muito de saber que temos cabeças pensantes em Belém ..parabéns!!!

Bárbara disse...

Ahhh, meu computador está quebrado. Acreditas? Mas qualquer coisa a gente mantém contato! =)

Esperando o próximo texto!
Beijos Raquel,

junior disse...

Por que será ??? naum sei, mas que a pscanálise é tão atual, ou até mas que fora no passado, eu acho uma verdade diante da loucura do "nosso" dia-a-dia.
Curti muito a iniciativa de voçês, ainda há muito o que se desmistificar da pscanálise. Eu por exemplo ja me perguntei algumas vezes o que freud explica, e naum faço a menor idéia de como responder.
um beijão para voçês, e mto sucesso.

junior

carol disse...

Olá ..gotaria de sugerir alguns temas para as proximas produçoes...como A VAIDADE,MEDO,FOBIAS MODERNAS e até mesmo segui com o ultimo tema sobre as pessoas que evitam a felicidade e nao percebem..bom e isso ..obrigada!!

Yanna disse...

Li de novo o artigo e até sanei uma dúvida que surgiu quando li a primeira vez no jornal. Realmente hoje as pessoas buscam a felicidade de uma forma duvidosa, acho que na verdade n deixa de ser uma fuga... opinião de uma leiga tá? :) Será que Freud explica as pessoas que querem opinar em tudo, até onde não foram chamadas? Como disse? ehehe
beijãooo

rg.psicanalise disse...

Carol,ficamos felizes em saber que você se interessou pelo texto que escrevemos, e queríamos que sempre que tivesse alguma dúvida,opinião,ou qualquer coisa que venha a acrescentar, que escrevesse no nosso blog. A intenção é essa mesma, a de interagir com as pessoas a psicanálise e o nosso contexto social.
Esse mês de julho já preparamos o texto, e o tem como tema " A cultura do espetáculo". É claro que quando escrevemos um tetxto nos vem em mente tratar de outros assustos tão pertinentes,mas sabemos que sempre haverá uma falta, sempre um buraco a ser explicado....e que nem nos ousaríamos a explicar!rsrsrsr
Continue lendo nossa coluna, e quem sabe conseguiremos tocar nos assuntos que tanto lhe incitam.

rg.psicanalise disse...

Yanna, a tua opinião é necessária pois mostra que ao ler nossa coluna passaste a pensar sobre...
Com relação à pergunta, Freud não te explicaria, mas se pensarmos nesta pessoa que quer opinar tudo, se meter em tudo, até no que não foi chamada, poderíamos levatar várias hipóteses.Porém, como a psicanálise está longe de rótulos, não caberia colocarmos aqui tais hipóteses....mas sim...pensarmos sobre elas.
:)

carol disse...

Sobre domingo..eu posso somente comentar.. o QUE ACONTECE QUANDO ACEITAMOS E ARTICULAMOS, o sofrimento/inveja/dor/medo/vaidade/os outros?Aprendemos a domesticar a vaidade com AUTO-ESTIMA....BJsss....

Sun Shine disse...

amiga, adorei o blog...
mto criativo e interessante...vou ler mais vezes...
mto sucesso pra vcs suas lindas!!!
bjs